Compulsão e Ansiedade

 

No artigo de hoje falarei a respeito das minhas ansiedades, compulsões e TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), sei que muitas pessoas se identificaram com este artigo. Uma das minhas compulsões são os livros, se estou irritado, angustiado, quando a ansiedade vem e os pensamentos trabalham em alta velocidade a única forma que encontro para acalmar o coração e a mente, é a leitura, enquanto estou lendo meus pensamentos se concentram 100% na leitura, então vou me acalmando, o grande problema é que eu acho, que isso virou uma compulsão, se eu não ler no mínimo 100 páginas por dia eu fico louco. Mas vamos entender sobre isso no decorrer do artigo.

Compulsão: Imposição interna irresistível que leva o indivíduo a realizar determinado ato ou a comportar-se de determinada maneira.

A grande maioria das pessoas que sofrem com a ansiedade buscam alívio na comida, o grande problema é quando isto se transforma em uma compulsão alimentar. Eu mesmo a alguns dias atrás acordava em média de seis vezes durante a noite para assaltar a geladeira, não importava o quanto comia, eu sempre estava com fome, não gostava muito de doce e simplesmente do nada, uma vontade incontrolável de comer doces.

O tempo todo estava procurando algo para comer, durante a parte da manhã, a tarde, a noite e de madrugada, não importava o que fosse, eu só queria comer e saciar a minha fome, o problema é que a fome nunca acabava.

Eu sou portador de Doença de Crohn, uma doença inflamatória intestinal, que provoca fortes dores abdominais, diarreias, outros momentos obstrução intestinal, podendo afetar qualquer parte gastrointestinal, da boca ao reto em especial no íleo. Três anos se passaram desde o diagnóstico da doença de crohn e desde então já foi várias visitas no hospital, por causa das dores recorrentes da doença.

O grande X da questão é que para poder conviver com a doença de crohn, além da medicação é preciso seguir uma dieta rigorosa para não trazer prejuízos maiores a minha saúde, é aí que entra a compulsão alimentar, a ansiedade, preocupação excessiva com minha saúde, tratamentos, vida profissional, faz com que eu coma de uma maneira descontrolada, comendo doces, pão, biscoitos, farinha, amendoim, qualquer coisa que eu encontre na reta. Tudo que contém glúten e amido são vilões no controle da doença. Prejudicando muito o meu estado de saúde.

Mas está é uma questão que no momento, junto com os meus médicos e nutricionista estou conseguindo controlar por enquanto.

Outras pessoas buscam refúgio nas drogas, nas bebidas, outros são compradores compulsivos que não conseguem se controlar, no decorrer do artigo iremos citar mais exemplos.

As compulsões, comportamentos compulsivos ou aditivos são hábitos aprendidos e seguidos por alguma gratificação emocional, normalmente um alívio da ansiedade e a angústia. Como o meu exemplo acima, a ansiedade trouxe um descontrole como a compulsão alimentar. São hábitos mal adaptativos que já foram executados inúmeras vezes e acontecem quase automaticamente.

Diz-se que esses comportamentos compulsivos são mal adaptados porque, apesar do objetivo que têm de proporcionar algum alívio de tensões emocionais, normalmente não se adaptam ao bem estar mental pleno, ao conforto físico e à adaptação social. Eles se caracterizam por serem repetitivos e por se apresentarem de forma frequente e excessiva. A gratificação que segue ao ato, seja ela o prazer ou alívio do desprazer, reforça a pessoa a repeti-lo mas, com o tempo, depois desse alívio imediato, segue-se uma sensação negativa por não ter resistido ao impulso de realizá-lo. Mesmo assim, a gratificação inicial (o reforço positivo) permanece mais forte, levando a repetição.

Assim, comportamentos compulsivos ou aditivos podem ser entendidos como atitudes (mal adaptadas) de enfrentamento da ansiedade e a angústia, trazendo consequências físicas, psicológicas e sociais graves. No meu caso a compulsão alimentar, junto com a doença de crohn acarretou em uma série de episódios de diarreias por uma má alimentação, mesmo comendo muito eu sempre emagrecia por causa das diarreias causada pela doença de crohn. Chegando a pesar 12 kg abaixo do meu peso mínimo.

Depois que iniciei o tratamento para doença de crohn com Modulen e prednisona, em dois meses de 52 kg fui para 70kg. A medicação e a dieta com o Modulen cortaram a diarreia, mas a compulsão alimentar continuou, perdi quase todas as minha roupas.

A vantagem de ter engordado tanto foi que as minhas cuecas frouxas, agora estavam apertadinhas. Ha, ha, ha!

Algumas pessoas apresentam comportamentos com caráter compulsivo, que levam a consequências negativas em suas vidas, como por exemplo, recorrer ao uso abusivo do álcool, das drogas, à fuga do convívio social, ao hábito intempestivo do vômito e às mais variadas atitudes.

Essas pessoas podem ainda comprar compulsivamente, sem levar em conta o saldo bancário, nesta questão para mim é tranquilo, já que o meu saldo bancário só fica no vermelho. Comer compulsivamente, mesmo quando não se tem fome foi o meu caso, jogar, praticar atividades físicas em excesso, etc.

TOC (Transtorno obsessivo compulsivo)

Normalmente nesse tipo de problema, classificados em sob o título de transtornos obsessivo compulsivo (TOC), a pessoa acaba tornando-se dependente dessas atitudes, as quais ocupam um espaço importante no seu cotidiano. Em alguns casos ocorrem-se danos físicos, como  na pessoa com vigorexia, que precisa malhar (exageradamente) todos os dias e por longas horas, ou lesões na pele das mãos devido aos rituais de lavar continuadamente, calvície quando há tricotilomania, ou desnutrição quando a compulsão é por vômitos (bulimia) e assim por diante.

Antes do diagnóstico de Espondilite Anquilosante, Doença de Crohn, Fibromialgia, Depressão e Ansiedade, uns dos TOC que eu tinha era lavar as mãos de uma maneira exagerada, repetitiva e isto acontecia desde criança, depois veio as infinidades de banhos durante o dia, quando  estava no trabalho tudo bem, mas quando estava de folga por exemplo em um domingo se alguém me chamasse no portão de casa por dois minutos, quando eu voltava já era motivo para tomar outro banho, me sentia imundo, sujo, como se estivesse, suado e depois rolado na terra.

Outra coisa era as infinitas vezes que eu conferia tudo. Por exemplo na hora de sair de casa a minha mente ficava presa em um ciclo vicioso.

Chave, carteira, celular, relógio!

Chave, carteira, celular, relógio!

Chave, carteira, celular, relógio!

Conferia os bolsos sem parar e isto se repetia inúmeras vezes, sem contar às vezes que tinha que voltar para casa pois não lembrava se havia trancado-a. Como eu disse isso aconteceu antes do diagnóstico das doenças, depois do diagnóstico estou pouco me importando com as coisas, se estou limpo,  sujo, cabelo penteado ou atrapalhado, se saio e esqueço de trancar a casa, penso comigo “se eu lembrar da próxima vez eu tranco!” Coisas que antes fazia eu parar tudo e voltar para a casa e exercer todo um ritual de conferir se tudo estava perfeito, agora não importa mais.

Compulsão por Livros
Compulsão por livros

A busca pelo afastamento de pensamentos incômodos

A repetição desses comportamentos e o aumento gradual da frequência deles acabam caracterizando um verdadeiro processo de dependência. Alguns buscam o alívio do desprazer das emoções de angústia e ansiedade no afastamento de pensamentos incômodos. Quando se pretende a busca do prazer pode haver adicção química, que é o consumo exagerado de substâncias.

Para afastar estes pensamentos incômodos, mergulhei nos estudos, a leitura de um bom livro,  ocupava minha mente e conseguia esquecer de todos os problemas durante a leitura.

Didaticamente podemos dizer que existe uma grande semelhança entre comportamentos compulsivos e dependência química: a angústia provocada pela ausência, os sintomas emocionais da abstinência, tais como tremores, sudorese, taquicardia, etc, o caráter compulsivo e repetitivo, a importância que essa atitude ocupa na vida da pessoa, o comprometimento na qualidade da vida familiar, profissional, afetiva e social. É assim que, por exemplo, o ato de jogar tem praticamente o mesmo papel que a droga, ou álcool, a cocaína e outras substâncias psicoativas.

Ocupação mental

Uma ocupação mental capaz de tomar o espaço de outros sentimentos ou pensamentos mais difíceis de serem vivenciados. Quando a atividade funciona como uma forma de esconder-se, fugir ou não ter que sentir ou pensar em outros problemas, enfim, quando alivia a angústia da vida de relação.

Neste momento foi quando tomei o hábito de ler. Comecei a ler para ocupar a minha mente, comecei com assuntos e livros que eu gostava, fiz vários cursos de teologia, em noventa dias conclui a leitura da bíblia de Gênesis a Apocalipse, já li a bíblia várias vezes. E o gosto pela leitura e o prazer de está com a mente ocupada, livre de problemas gerou uma sensação muito boa de alívio e controle dos pensamentos. O problema é quando um simples ato prazeroso e ocupação da mente se torna em compulsão.

O que era prazeroso se tornou compulsivo, minha mente só pensava em comprar livros, ler livros, cheirar, tocar, sentir. Quando dei por mim estava entrando em um outro problema, a compulsão pelos livros.

Benefícios da leitura para a mente

A leitura traz muitos benefícios para nosso corpo e mente, se você quer cuidar da sua saúde física e mental, o meu conselho é “leia bastante.” A leitura estimula a criatividade, expande o vocabulário e o conhecimento, estimula a imaginação, fazendo que o leitor enxergue o mundo de um modo diferente, às vezes com um olhar crítico ou mais sábio. A leitura reduz o estresse, ansiedade, expande o conhecimento, melhora na concentração.

O livro mais extraordinário e fascinante, um livro que não encontro palavras para descrever o quanto foi bom, tanto para minha saúde física e mental, este livro foi a bíblia sagrada. Tudo o que eu preciso para manter meus pensamentos em ordem encontrei nele.

Compulsão por livros

Quando um simples ato de ler, se tornar uma compulsividade, o leitor passa a ter um ato compulsivo de comprar livros ou então ficar sem ler um livro de literatura ou até mesmo um livro de receita se tornar  um pesadelo. A mente fica presa no processo de ler, o que seria um benefício acaba trazendo prejuízos no  convívio social e familiar.

Compulsão por conhecimento

Quando a busca pelo conhecimento se torna uma obsessão ou um vício, não importa o que a pessoa está conhecendo de novo, desde que ela esteja conhecendo algo. Está busca pelo conhecimento, quando se tornar em compulsão, a mente fica ligada, ambiciosa pelo conhecimento. Como falei da compulsão dos livros e dos benefícios da leitura, a compulsão pelo conhecimento fica presa aos livros e informações sempre desejando mais e mais.

Fonte: http://www.cerebromente.org.br

Att: Papai Desafinado

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: